voltar ao site
Top Menu
responsabilidade socioambiental
8 Flares Facebook 0 Google+ 0 LinkedIn 8 8 Flares ×

Você já ouviu falar em responsabilidade socioambiental? A definição, segundo o Ministério do Meio Ambiente, é a prática de ações que respeitam o meio ambiente equalizando o desenvolvimento econômico com os  padrões ambientais estipulados em normas  e leis bem como benefícios para sociedade.

Dois conceitos importantes sobre Responsabilidade Socioambiental

Antes de falarmos no papel social da empresa em relação ao meio ambiente, produção e consumo sustentáveis são dois conceitos importantes que possibilitam ações diretas e efetivas de responsabilidade socioambiental.

Produção sustentável nada mais é do que a incorporação das melhores  práticas possíveis para minimizar impactos ambientais e sociais, bem como riscos à saúde humana, ao longo do ciclo dos produtos e serviços, o que pode gerar efeitos econômicos e sociais benéficos para o produtor. “Uma produção sustentável será necessariamente menos intensiva em emissões de gases do efeito estufa, em energia e demais recursos, além de pensar o ciclo completo dos produtos procurando alongar a vida útil dos produtos e reaproveitar ao máximo possível os insumos da reciclagem em novas cadeias produtivas”, como afirma o Ministério do Meio Ambiente.

Já o consumo sustentável, é relativo a produtos que utilizaram menos recursos naturais em sua produção, podendo ser facilmente reaproveitados ou reciclados, ou seja, o uso de bens e serviços que atendam às necessidades básicas, proporcionando uma melhor qualidade de vida, enquanto minimizam o uso de recursos naturais e materiais tóxicos, a geração de resíduos e a emissão de poluentes durante todo ciclo de vida do produto ou do serviço, de modo que não se coloque em risco as necessidades das futuras gerações. Ainda, para o Ministério do Meio Ambiente, as pessoas consomem de maneira sustentável quando suas escolhas de compra são conscientes, responsáveis, com a compreensão de que terão consequências ambientais e sociais, que podem ser positivas ou negativas.

Responsabilidade socioambiental e o papel das empresas

Fábio Eon, co-fundador da Responsabilidade Social, diz que “responsabilidade” nada mais é do que responder por suas ações e pelas consequências de seus atos”, sendo assim, a responsabilidade socioambiental é agir de forma ética e correta em sociedade e na relação com o meio ambiente.

A responsabilidade socioambiental pode ser individual, quando uma pessoa se reconhece como indivíduo e toma atitudes para beneficiar o meio ambiente, como  praticar o consumo consciente, evitar desperdícios de recursos que venham da natureza e até mesmo debater com outras pessoas formas de cuidar dela. Também pode ser coletiva, sendo pessoa jurídica, organizações ou empresas que praticam a responsabilidade social no ambiente interno, utilizando políticas de incentivo e no ambiente externo, mantendo uma postura socialmente responsável em relação ao meio ambiente e também à sua cadeia produtiva da empresa.

Você deve estar se perguntando no que isso acrescentará para você! Bem, em um mundo cada vez mais industrializado, implicando em graves impactos ambientais, a responsabilidade socioambiental mostra que a empresa que a pratica, possui maturidade e reduz processos negativos sejam eles judiciais ou ações trabalhistas.Seja praticando a responsabilidade social, a produção sustentável ou incentivando o consumo sustentável, a empresa reforça a prática do debate sobre os cuidados com o meio ambiente por meio das empresas, que já é amplamente discutido no mundo e ainda contribui de forma significativa para a melhoria e preservação dele.

Empresas referência em responsabilidade socioambiental

Agora reunimos 10 exemplos de empresas que praticaram a responsabilidade socioambiental em 2014 para te inspirar a seguir essa conduta, de acordo com o Planeta Sustentável e com o Guia Exame de sustentabilidade 2014. Veja a seguir algumas empresas descritas no guia e as categorias onde atuam melhor com a responsabilidade socioambiental:

Melhor da Autoindústria: Volvo

A eficiência reside nos pequenos detalhes. Baseada em pequenas intervenções feitas ao longo de uma década, a montadora sueca Volvo diminuiu em 63% a energia necessária para fabricar um veículo na sua fábrica em Curitiba, que produz ônibus e caminhões. De quebra, a empresa cortou pela metade a emissão de gás carbônico.

Melhor de Bens de Capital: Tetra Pak

Inovação tecnológica é a palavra de ordem na subsidiária brasileira da fabricante de embalagens Tetra Pak. Para reduzir o impacto ambiental de seus produtos, a empresa aumentou de 75% para 82% a proporção de material renovável usado nas embalagens. A taxa foi alcançada graças à substituição do plástico comum pelo polietileno obtido da cana. O papel-cartão, outro componente da embalagem, é feito de papel certificado. Agora, só falta encontrar o alumínio “verde”.

Melhor de Bens de Consumo : Unilever

Hoje, 40% dos insumos agrícolas da Unilever brasileira vêm de fontes certificadas. Há três anos, eram apenas 20%. A empresa anglo-holandesa tem atuado fortemente com centenas de fornecedores de insumos agrícolas para adoção de boas práticas socioambientais. Até o final da década, a empresa persegue a meta de 100% de matéria-prima agrícola com certificação de origem.

Melhor de Eletroeletrônicos: Philips

De que adianta fazer produtos ” verdes” se ninguém pode pagar por eles? Atenta à questão, a holandesa Philips tem se esforçado para produzir lâmpadas eco eficientes que pesem menos no bolso do consumidor. O preço das novas lâmpadas LED, que permitem economia de energia de até 80% em relação aos modelos incandescentes, caiu 70% em dois anos. Desde 2013, a empresa obtém metade de suas vendas globais com produtos ambientalmente mais eficientes.

Melhor de Energia: AES Brasil

O grupo americano AES, que atua em geração, distribuição e comercialização de energia elétrica no Brasil, está atento ao potencial das energias renováveis por aqui. Por isso, planeja dobrar a capacidade instalada de 300 megawatts até 2016. Para ajudar nesse objetivo, a subsidiária brasileira, AES Brasil, participou no final de outubro do primeiro leilão de reserva de geração de energia solar do país. A ideia é instalar usinas solares junto às hidrelétricas, para aproveitar as sinergias e reduzir os custos operacionais.

Melhor de Mineração e Siderurgia: ArcelorMittal

Atenta à necessidade de reduzir impactos ambientais e economizar energia, a ArcelorMittal, maior produtora de aços longos e planos da América Latina, introduziu em sua usina em Juiz de Fora, Minas Gerais, um projeto-piloto inovador. A nova tecnologia permite aproveitar a energia térmica gerada no processo de queima de carvão vegetal nos altos-fornos da siderúrgica e transformá-la em energia elétrica. Com a investida, a empresa espera reduzir as emissões de gases de efeito estufa em 650 000 toneladas por ano a partir de 2015.

Melhor de Papel e Celulose: Fibria

Por meio do melhoramento genético do eucalipto, a Fibria, maior produtora mundial de celulose de fibra curta de eucalipto, espera aumentar a produtividade e reduzir em um terço a área necessária para a produção de celulose. Os investimentos nessa área renderam 18 novas patentes em biotecnologia só em 2013. Outra preocupação é reduzir em 91% os resíduos sólidos destinados a aterros e avançar na meta de recuperar 40.000 hectares de florestas até 2025. Só no ano passado, a empresa restaurou mais de 5 000 hectares.

Melhor de Telecomunicações: Algar Telecom

A Algar Telecom, operadora de telefonia com sede na cidade de Uberlândia, em Minas Gerais, mantém um projeto que consegue atender de forma equilibrada a três objetivos de sustentabilidade da empresa: preservação do meio ambiente, incentivo à educação e apoio a comunidades carentes. Trata-se do Ecobanner. A empresa recolhe lonas acrílicas usadas em outdoors, painéis e placas publicitárias nas cidades que atende. O material coletado serve de matéria-prima para uma série de produtos, como bolsas, estojos e porta-cartões. Detalhe: tudo é produzido por cooperativas ou organizações sociais.

Melhor em Gestão da água: Ambev

A fabricação de cerveja é um negócio sedento. Só no ano passado, a fabricantes de bebidas Ambev vendeu 11,8 bilhões de litros de cerveja e 4,6 bilhões de litros de refrigerante. Tudo isso leva água – muita água. Não à toa, o líquido precioso está no centro das ações de sustentabilidade da empresa. Entre elas, destaca-se o Movimento Cyan, lançado há quatro anos, para conscientizar as pessoas sobre o uso racional da água. O foco do projeto é atuar na melhoria dos recursos hídricos em todas as bacias hidrográficas em que se localizam as fábricas da empresa no Brasil.

Melhor em Gestão de Resíduos: Coca-Cola

A Coca-Cola tem uma meta desafiadora: reciclar 100% das suas embalagens de refrigerantes até 2020. Hoje, a empresa já recicla 98% do alumínio, mas apenas 60% do plástico da garrafa PET. Para melhorar essa taxa, a empresa criou o projeto Coletivo Reciclagem. Dele participam cerca de 400 cooperativas, que recebem auxílios conforme suas necessidades. As menores e mais rudimentares, por exemplo, recebem apoio jurídico para se formalizar e comprar equipamentos de segurança, como luvas e botas.

About The Author

Marketing na Descarte Legal e estudante de Publicidade e Propaganda.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

8 Flares Facebook 0 Google+ 0 LinkedIn 8 8 Flares ×
Close